Breadcrubs
Declaração oficial sobre os recentes acontecimentos
single

A Liga Portuguesa de Counter-Strike vem por este meio fazer uma declaração oficial sobre os recentes acontecimentos à volta dos comunicados referentes aos casos dos jogadores, Fábio "Twixy" Pedro e Renato "Stadodo" Gonçalves. Neste sentido, a organização gostava de esclarecer que:

  1. Os casos, que motivaram processos no conselho de arbitragem, dos jogadores Fábio "Twixy" Pedro e Renato "stadodo" Gonçalves, apenas coincidem no tipo de acusação, match fixing, e numa das provas apresentadas no cerne da queixa, uma print de uma conversa em que os jogadores insinuavam essa possibilidade;
  2. No caso do jogador Fábio "Twixy" Pedro, uma print de uma conversa num chat de grupo, foi apenas uma de várias provas apresentadas na acusação anónima que a Liga Portuguesa de Counter-Strike recebeu;
  3. A atitude demonstrada pelos jogadores durante o processo de investigação, algo que também foi tido em conta na decisão final, foi completamente diferente, tendo o jogador Fábio "Twixy" Pedro demonstrado intenção de não colaborar com a investigação na gênese da mesma, e o jogador Renato "stadodo" Gonçalves ter demonstrado total disponibilidade para colaborar com o conselho de arbitragem em tudo que esta lhe pediu e uma preocupação extrema pela procura da verdade;
  4. O jogador Fábio "Twixy" Pedro no primeiro interrogatório levado a cabo pelo conselho de arbitragem, após ter demonstrado intenção de não colaborar com a investigação, escondeu também uma peça chave do processo, que já tinha ocultado à própria equipa, que até seria sempre considerada a seu favor e que acabou apenas por chegar ao conhecimento do conselho de arbitragem por parte de terceiros dois dias depois do início do processo e pelo próprio apenas três dias depois, tendo ainda assim a iniciativa partido do próprio conselho e não, como seria de esperar, do próprio jogador;
  5. O jogador Fábio "Twixy" Pedro confirmou, num primeiro momento, que apostava em jogos de Counter-Strike utilizando duas contas num website ilegal para o efeito e num segundo momento apenas conseguiu mostrar o histórico de umas das contas e não demonstrou a vontade esperada de mostrar a outra conta que o próprio confirmou existir. Será importante relembrar a gravidade de um menor estar a utilizar um website ilegal para fazer apostas desportivas, o que pode trazer consequências graves a nível legal para o mesmo;
  6. Os próprios representantes dos GrowUP corroboraram em reunião com membros do conselho de arbitragem, que existem imensas contradições, até ao momento ainda por explicar, nas versões apresentadas pelo jogador em questão, colegas de equipa e familiar do jogador;
  7. O jogador Fábio "Twixy" Pedro adotou um discurso durante o processo de investigação que foi contraditório em vários momentos com os colegas de equipa sobre vários temas, enquanto que todo o discurso do jogador dos Offset Esports foi corroborado pelos seus companheiros de equipa e até por um dos representantes da equipa adversária no que terá estado na origem do resultado do jogo (um estudo aprofundado e sustentado a nível estratégico) que terá sido a principal razão do mesmo;
  8. O conselho de arbitragem, no momento de anunciar a decisão final aos GrowUP e ao jogador Fábio "Twixy" Pedro, apresentou todas as provas que sustentaram a medida aplicada, e o print da conversa em que o jogador dava a intenção de fazer o referido match fixing foi referido apenas como uma das provas iniciais que deu origem à abertura do processo, tendo o conselho de arbitragem encontrado provas muito mais fortes e consistentes ao longo da investigação, algo que não aconteceu no caso do jogador Renato "stadodo" Gonçalves.
  9. Depois da decisão sobre o caso dos jogador dos GrowUP ter sido divulgado, a equipa demonstrou vontade de apresentar um recurso, que foi apenas sustentado por um interrogatório por parte de um membro do conselho de arbitragem a um familiar do jogador, que trouxe mais contradições no que terão sido os factos e tendo até colocado em causa a vontade do jogador Fábio "Twixy" Pedro ajudar o conselho de arbitragem na procura da verdade dos factos;
  10. Num dos interrogatórios foi de imediato dada a hipótese ao jogador Fábio "Twixy" Pedro de acrescentar o depoimento do seu familiar, pela importância que isso teria na procura da verdade dos factos. O jogador confirmou essa intenção, disse que foi chamar o familiar e este recusou ser entrevistado pelo conselho de arbitragem. Durante o interrogatório que foi feito a este familiar no decorrer do recurso apresentado, o próprio familiar do jogador confirmou que esta situação foi mentira e que nunca tinha recusado participar na investigação
  11. No entender do conselho de arbitragem da Liga Portuguesa de Counter-Strike, nunca um recurso apoiado apenas, numa entrevista que demonstrou versões contrárias em pontos chave da investigação, inclusive a própria vontade do jogador em colaborar e até a transparência do mesmo, pode anular uma decisão pensada e sustentada que já tinha sido tomada;
  12. No caso do jogador Renato "stadodo" Gonçalves, o conselho de arbitragem chegou rapidamente à conclusão que não se tratava de um caso de match fixing, o que motivou a decisão rápida e célere por parte do conselho de arbitragem;
  13. No comunicado sobre o caso do jogador dos Offset Esports, não foi considerado sequer a situação do jogador Miguel "rlz" Martins, que embora tenha sido inquirido durante o processo de investigação, além de a queixa ter sido feita apenas contra o jogador Renato "stadodo" Gonçalves, o conselho de arbitragem não achou necessário sequer referir a situação do jogador dos Team HD, mas deixa claro que também foi possível chegar à conclusão que este não esteve envolvido em nenhum esquema de match fixing;
  14. Para esclarecer também algumas questões importantes levantadas pela comunidade, o facto do jogador Renato "stadodo" Gonçalves ter sido punido e o jogador Miguel "rlz" Martins não, prende-se com o facto de o que os ligava a ambos era apenas a situação de match fixing que se provou falsa e por aí nenhum dos jogadores foi punido. O jogador Renato "stadodo" Gonçalves teve a sua punição pela situação de apostar em competições de Counter-Strike, facto que não se provou em relação ao jogador dos Team HD;
  15. A punição aplicada ao jogador Renato "stadodo" Gonçalves foi da suspensão de um jogo com efeito imediato e não tem a agravante direta de um jogo de default de punição nem a perda de prize pool. Isto é uma situação completamente alheia ao conselho de arbitragem e à própria Liga Portuguesa de Counter-Strike e deve-se ao facto de os Offset Esports não terem nenhum suplente inscrito. Com isto, a Liga Portuguesa de Counter-Strike não quis prejudicar ou beneficiar alguma equipa da prova. O default é uma situação que ultrapassa a decisão de arbitragem e entra no âmbito da própria gestão da equipa dos Offset Esports que não tinha sentido qualquer necessidade de inscrever suplentes até ao momento;
  16. Nunca a Liga Portuguesa de Counter-Strike poderia não atribuir os pontos da vitória à equipa dos ASP Esports, quando estes não têm culpa alguma da situação e fosse qual fosse a equipa que iria jogar contra Offset Esports estes três pontos seriam atribuídos. Neste caso, o default e a impossibilidade dos Offset Esports jogarem não se prende a uma punição direta do conselho de arbitragem, mas sim um resultado de esta equipa não ter qualquer suplente e não poder apresentar-se com quatro jogadores. Bastava os Offset Esports apresentarem um suplente na sua inscrição, que este jogo seria realizado normalmente apenas tendo em conta a suspensão ao jogador Renato "stadodo" Gonçalves;
  17. Apesar de o conselho de arbitragem da Liga Portuguesa de Counter-Strike não poder divulgar as provas que levam às decisões disciplinares, quis com este comunicado elucidar a comunidade em geral do que esteve no cerne das diferentes decisões e desmistificar algo que foi replicado sucessivamente: que estes dois casos seriam iguais e que a Liga Portuguesa de Counter-Strike teria banido o jogador Fábio "Twixy" Pedro apenas tendo por base uma print semelhante à encontrada do jogador Renato "stadodo" Gonçalves;
  18. No caso do jogador Fábio "Twixy" Pedro, existem no entender do conselho de arbitragem provas que sustentam uma situação de match fixing enquanto que no caso do jogador Renato "stadodo" Gonçalves isso não se verificou;
  19. O conselho de arbitragem considera que neste género de investigações todos os jogadores são inocentes até prova em contrário, máxima aplicada em ambos os casos e que resultou no ban permanente ao jogador Fábio "Twixy" Pedro por existirem provas que sustentam que o delito se efetivou e não haver uma punição referente a match fixing para o jogador Renato "stadodo" Gonçalves por não haverem fatores que o provassem;
  20. As penalizações nestes casos nem podem ser comparadas em relação ao critério aplicado pelo conselho de arbitragem visto que o jogador Fábio "Twixy" Pedro ficou provado numa situação de match fixing e o jogador Renato "stadodo" Gonçalves foi punido por apostar em competições de Counter-Strike, ofensas que são punidas de forma completamente diferente pela total diferença existente na gravidade destes factos.

 


Top